Crônicas Nikkeis 8 — Heróis Nikkeis: Pioneiros, Modelos e Inspirações

A palavra “herói” pode ter significados diferentes para pessoas diferentes. Nesta série, exploramos a ideia de um herói nikkei e o que isso quer dizer para cada pessoa. Quem é o seu herói? Qual é a história dele? Como ele(a) influenciou sua identidade nikkei ou a conexão com sua herança cultural nikkei?

Aceitamos o envio de histórias de maio a setembro de 2019; a votação foi encerrada em 12 de novembro de 2019. Todas as 32 histórias (16 em inglês, 2 em japonês, 11 em espanhol, e 3 em português) foram recebidas da Austrália, Brasil, Canadá, Estados Unidos, Japão, México e Peru. Dezoito dessas submissões foram de colaboradores inéditos do Descubra Nikkei!

Aqui estão as histórias favoritas selecionadas pelo Comitê Editorial e pela comunidade Nima-kai do Descubra Nikkei.


Seleções dos Comitês Editoriais:

Escolha do Nima-kai:

Para maiores informações sobre este projeto literário >>


Confira estas outras séries de Crônicas Nikkeis:

#1: ITADAKIMASU! Um Gostinho da Cultura Nikkei
#2: Nikkei+ ~Histórias sobre Idiomas, Tradições, Gerações & Raças Miscigenadas~
#3: Nomes Nikkeis: Taro, John, Juan, João?
#4: Família Nikkei: Memórias, Tradições e Valores
#5: Nikkei-go: O Idioma da Família, Comunidade e Cultura
#6: Itadakimasu 2! Um Novo Gostinho da Cultura Nikkei
#7: Raízes Nikkeis: Mergulhando no Nosso Patrimônio Cultural

identity en ja es pt

Meu Herói: Setsutaro Hasegawa

Quando nasci, no início de 1960, a longa sombra da Segunda Guerra Mundial estava começando a desaparecer. Os anos 50 e 60 viram a onda após onda de imigrantes chegarem à Austrália, mas quase nenhum asiático ou japonês. A política branca da Austrália ainda prevalecia e, se a cor da minha pele significasse algo para passar por isso, mas eu ainda tinha meu nome japonês.

Meu pai, Raymond Taro Hasegawa, nasceu, filho de Leo Takeshi Hasegawa e neto de Setsutaro Hasegawa (ST Hasegawa), um imigrante japonês na Austrália que chegou ...

continue a ler

community pt

Meu tio inesquecível

Criança ainda, costumava ler uma revista de circulação mensal que até hoje existe, na qual tinha uma seção chamada “Meu tipo inesquecível”, a minha preferida, onde era retratada a vida de personagens marcantes. Pessoas comuns que, por suas qualidades ou atitudes, haviam se destacado ou influenciado a vida de outras, igualmente comuns.

Uma figura inesquecível para mim foi o Tio Yotiam ou Tim para muitos, meu falecido tio pelo lado materno, que nos deixou um legado de coisas boas e alegres, além de uma imensa saudade. A lembrança do Tio Yotiam não ...

continue a ler

community en

The Family of Shinjiro Dote and Pre-WWII Japanese of El Dorado County, CA.

The trials and tribulations of pre–World War II Japanese on the West Coast are well documented, but there was a small group of them that were uniquely special and nearly lost to obscurity. The adversity they faced was as unparallel as the historical significance of their community of El Dorado County, CA.

I’m a mixed race Sansei. My family decided in 1971 to leave southern California for the quieter rural El Dorado County in northern California three weeks before the school year ended. I clearly remember my first day at my new school. As the office gal took ...

continue a ler

war en

My Hero: Shinya Honda

Shinya Honda was my hero because he never looked back. He always persevered and took responsibility for his own life and even took care of his mother and three sisters. Uncle Shin never complained about his circumstances or the terrible events that took place at the age of 15, when his father died.

Above all, I am grateful to Uncle Shin and his whole generation who worked hard to serve our country. In spite of the incarceration in concentration camps and this tragic black mark in American history, the positive attitude of Uncle Shin, being a cheerleader for his children ...

continue a ler

community es

Cynthia: Mil grullas, una flor de cerezo y la fugacidad de la vida

Desde que tengo memoria, como todo aquel que nació en el Perú en los años noventa, Japón ha estado muy presente en mi vida. Cómo olvidar la primera vez que sintonicé y vi por primera vez Dragon Ball o Saint Seiya, o incluso Dekirukana o Teatro de Marionetas. El haber nacido y vivido en Jesús María, cerca del Centro Cultural Peruano Japonés, también hizo que desde pequeño me emocionara mucho por aprender más sobre esta cultura tan interesante. No obstante, no sería sino hasta un tiempo después que terminar ...

continue a ler