Tatiana Maebuchi

Nascida na cidade de São Paulo, é brasileira descendente de japoneses de terceira geração por parte de mãe e de quarta geração por parte de pai. É jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e blogueira de viagens. Trabalhou em redação de revistas, sites e assessoria de imprensa. Fez parte da equipe de Comunicação da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), contribuindo para a divulgação da cultura japonesa.

Atualizado em julho de 2015

culture pt

Técnica e arte japonesas dão formas e beleza à argila em Cunha

Conhecimentos adquiridos no Japão quando usados em argila têm o poder de criar, transformar. O nissei Marcelo Yoshinori Tokai, 46 anos, dedica-se justamente a isso, à arte da cerâmica. Descendente de Hokkaido e nascido em Mogi das Cruzes, São Paulo, o artista foi para a terra natal de seus pais aprofundar-se nas tradicionais técnicas e, mais tarde, seguiu para a cidade de Cunha (SP).

Aprendizado no Japão

“Eu e minha esposa Luciane Yukie Sakurada estudamos cerâmica no Japão, em Tochigi ken (‘província’), Mashiko machi (‘cidade’)”, localizada ao norte de Tokyo. A inspira ...

continue a ler

identity pt

Raízes e lembranças no Vale do Ribeira

Foi na cidade de Registro, na região do Vale do Ribeira, em São Paulo, onde minha família por parte de pai se estabeleceu. Assim como muitos imigrantes japoneses. 

Natural de lá e fã de arroz com feijão, meu tio-avô, Issuo Maebuti, de 94 anos, narra a história da família com seu jeito alegre e bem-humorado.

Trajetória de Katsuji e Toki, precursores no Brasil 

Meu bisavô, Katsuji, veio do Japão com minha bisavó, Toki. Desembarcaram em Santos e foram para Jaboticabal, perto de Ribeirão Preto, São Paulo. Tio João, como ...

continue a ler

food pt

Doce e refrescante inspiração

Uma viagem mudou a vida de uma nikkei. A sansei Emília Tayra, ex-bancária de 60 anos, descobriu novos sabores em um doce com toque nipônico. Certa de que agradaria também o paladar dos paulistanos, principalmente os descendentes de japoneses, decidiu trazer a ideia diretamente dos Estados Unidos.


Como surgiu a ideia do mochi de sorvete

“Em uma viagem a Nova York em 2013 experimentei alguns mochis de sorvete e fiquei encantada com a beleza das esferas coloridas recheadas com sorvete”, conta Emília. “Ainda nessa viagem, tomei muito sorvete Häagen-Dazs que era barato comparado aos ...

continue a ler

business pt

Uma tradição gastronômica de pai para filha e de nikkeis para brasileiros

Uma senhorinha sorridente atrás do balcão onde fica o caixa recepciona e agradece quem entra e sai do local, em meio ao bairro da Liberdade. Proprietária da tradicional pastelaria japonesa Yoka, Luiza Yokoyama, de 65 anos, guarda uma surpreendente história de família.

Nissei, se dedicou totalmente à criação e educação dos filhos. Para tanto, chegou a preparar massa de harumaki para vender. Até que aos 44 anos decidiu seguir os passos do pai, o imigrante japonês Takashi Yokoyama, e abriu sua própria loja de pastel com a ajuda dele.

O pioneiro Takashi ...

continue a ler

education pt

Michie Akama, uma educadora sonhadora à frente de seu tempo

Nascida no Japão e formada em Educação, Michie Akama vem para o Brasil na década de 1920 com a família para trabalhar na lavoura de café. Aqui, ela se depara com uma realidade muito diferente daquela que ela conhecia de sua terra natal, pois as pessoas não tinham acesso à escola. “Começa daí, então, o sonho dela de querer fazer alguma coisa dentro de um contexto educacional”.

Quem conta esta história é Irma Akamine Hiray, ex-professora e atual diretora-geral do Centro Educacional Pioneiro, a antiga escola chamada Casa de Ensino de Corte e Costura ...

continue a ler