Tatiana Maebuchi

Nascida na cidade de São Paulo, é brasileira descendente de japoneses de terceira geração por parte de mãe e de quarta geração por parte de pai. É jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e blogueira de viagens. Trabalhou em redação de revistas, sites e assessoria de imprensa. Fez parte da equipe de Comunicação da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), contribuindo para a divulgação da cultura japonesa.

Atualizado em julho de 2015

identity pt

A origem

Desde a infância, fiz amigos tanto de diferentes ascendências como orientais – não só nipônicos, mas também descendentes de chineses e de coreanos. Hoje penso se o que nos aproximou foi o fato de nossas culturas de origem ser parecidas ou se nosso inconsciente nos fazia sentir mais confortáveis com nossos semelhantes, por termos um “rosto familiar”.

Comecei a reparar, já durante a adolescência, nos anos 1990, nos grupos de amigos “japas” que se concentravam em maior número em determinadas escolas. Notei que eles tinham um comportamento padronizado: o jeito característico de ...

continue a ler

business pt

Mescla nipo-brasileira que adoça e tempera

Quem passa pela Rua Estela, no bairro Paraíso, em São Paulo, talvez não imagine que uma casa de fachada verde guarde 26 anos de história. Localizado no número 257, o imóvel dá vida ao Kaeru Foods, um pequeno negócio aberto pelo casal nissei Masao e Ana Ishii. 

Desde 2019, contam com o filho Rafael, de 35 anos, para gerenciar a loja de salgados e doces. Descendente de terceira geração, começou a ter ligação com a cultura nipônica quando era criança pela comida que sua mãe fazia, bastante ...

continue a ler

business pt

Kizuna 2020: Bondade e solidariedade nikkeis durante a pandemia da COVID-19

Pequenos negócios nikkeis enfrentam desafios na pandemia do coronavírus

São Paulo, capital. Centro econômico que reúne diversos estabelecimentos locais administrados por empreendedores nipo-brasileiros. Semelhanças e peculiaridades transparecem nos impactos decorrentes do surto de COVID-19 provocado pelo coronavírus. Como exemplo, quatro idealizadores de negócios compartilham suas experiências nesse cenário.

* * * * *

Família unida

“A pandemia fez com que nós nos uníssemos para trabalhar em família”, conta Cristiane Haruyama Sampei, idealizadora da confeitaria Na-Na-Ya Pâtisserie, na Vila Mariana. O marido a está ajudando em tempo integral, pois o segmento de Turismo – em que atuava – parou de modo geral. “Pensei em ...

continue a ler

business pt

Doce hobby: do sonho para a realidade

Fachada meiga, decoração geek. Pela porta, passa a pessoa que estava sendo aguardada. Num primeiro olhar, a expressão séria faz jus às responsabilidades de microempresária. Porém, em uma conversa mais informal, descobre-se outro lado: uma alegria de menina que ama o que faz. Caçula de três irmãos, Melissa Takami, de 34 anos, é fundadora e administradora da Moti Confeitaria.

A camiseta temática de anime indica o interesse pela cultura japonesa – que vem, principalmente, de suas amizades. “Sempre andei mais com orientais, não só com japonês, mas com chinês e ...

continue a ler

identity pt

Estereótipo, o erro de pensar que todos os nikkeis são iguais

Quando o assunto é sociedade, automaticamente se fala em história. As relações humanas são analisadas e discutidas por estudiosos desde a Antiguidade até os tempos atuais. O sociólogo britânico Stuart Hall, por exemplo, lembra que “as nações são sempre compostas de diferentes classes sociais e diferentes grupos étnicos e de gênero”.

O Brasil não seria diferente. Inclusive, o país é marcado pelo multiculturalismo, resultado da antiga sociedade escravocrata e de políticas de imigração, principalmente em relação à vinda de japoneses. Como fruto do trabalho árduo, os nipônicos conseguiram prosperar ...

continue a ler