Criando um registro para estudar os resultados dos transplantes (Inglês)

Transcrições disponíveis nas seguintes línguas:

(Inglês) Nós estudamos o resultado de [cirurgias de] transplantes e queríamos saber qual seria o resultado se houvesse incompatibilidade de raças entre pessoas que fossem compatíveis. E também, se fossem incompatíveis para um tipo e um outro tipo para outro tipo, isso faria diferença? Então para isso, precisávamos obter dados. Precisávamos descobrir o que acontecia após o transplante. Por isso, criamos este registro em 1970, e ele [o registro] ainda existe hoje1.

O registro é para coletar os dados dos pacientes, os pacientes transplantados e após serem transplantados, ver como eles estão. Assim, todo ano, nós perguntaríamos a eles e perguntaríamos ao centro [de transplantes], como o paciente estava se recuperando. E então a partir disso, poderíamos olhar para diferentes fatores, assim como você mencionou, a raça do doador. Por exemplo, o tamanho do doador, descobrimos que se o doador é muito pequeno, o rim é muito pequeno, então isso coloca um esforço extra sobre o rim e o rim não dura tanto tempo quanto um rim maior. Além disso, se o rim é de uma pessoa de idade, muitos dos néfrons2 estão danificados. Então, quando você transplanta o rim, ele não funciona tão bem. Foram todos esses fatores diferentes que nós estudamos. Às vezes, [no caso de] pacientes negros, há um nível menor de transplantes. E nós não sabemos exatamente o que deve ser feito. Alguns deles podem ser as condições sócio-econômicas, mas outros podem ser inerentes – uma forte resposta imunológica que foi capaz de reagir contra o rim. Assim, tem sido uma espécie de mina de ouro.

Nós fazíamos o registro na UCLA [Universidade da Califórnia em Los Angeles]. E posteriormente, o governo criou o que é chamado o Registro UNOS. E de 1987 a 1999, tivemos o registro UNOS. Então, [nós] coletamos dados de cada paciente. E o registro UNOS é diferenciado no mundo na medida em que exige que cada paciente transplantado seja registrado. Não há nenhum outro tratamento na medicina que seja como este, que a partir do registro, possamos estudar todos esses vários fatores nos transplantes. E eu acho que é extremamente único. É o único registro de doenças relacionadas e o único no mundo que é obrigatório, significa que todo transplante que algum cirurgião realiza, deve ser relatado. E, também, o governo tem um controle, sendo que se ele [o cirurgião] não reporta o transplante, não recebe o pagamento. Portanto, é um tipo muito importante de atividade que vem acontecendo nos últimos 20 anos.

1. Em 1970, Dr. Terasaki foi fundamental na criação do UCLA Kidney Transplant Registry [Registro de Transplante de Rins UCLA]. Posteriormente, [o Registro] evoluiu para o United Network for Organ Sharing (UNOS) Kidney Transplant Registry [Rede Unida para Compartilhamento de Órgãos - Registro de Transplante de Rins].

2. Néfrons são as unidades funcionais básicas do rim. Há cerca de um milhão de néfrons em cada rim.

Data: 10 de fevereiro de 2004
Localização Geográfica: Califórnia, Estados Unidos
Interviewer: Gwenn M. Jensen
Contributed by: Watase Media Arts Center, Japanese American National Museum.

doctors medicine

Receba novidades

Cadastre-se para novidades por e-mail

Journal feed
Events feed
Comments feed

Apoie o projeto

Descubra Nikkei

O site Descubra Nikkei é um lugar once você pode se conectar com outras pessoas e assim participar nas experiências dos nikkeis. Para continuar a manter e expandir este projeto, nós precisamos da sua ajuda!

Maneiras de ajudar >>

Projeto do Japanese American National Museum

Patrocinador principal: The Nippon Foundation