Hidemitsu Miyamura

Hidemitsu Miyamura, nascido em 01/01/1944 em Paraguaçu Paulista. Estudou japonês na infância em Apucarana no norte do Estado do Paraná. É engenheiro mecânico formado na Universidade Federal do Paraná. Trabalhou na empresa NEC do Brasil por 34 anos, retirando-se em 2001. Casado com a médica Alice, é pai de Douglas Hidehiro e Érica Hiromi. É autor do livro Kagiri Naku Tookatta Deai (限りなく遠かった出会い) publicado em 2005. Escreve crônicas no São Paulo Shimbun.

Atualizado em janeiro de 2013

community ja pt

Kagirinaku Tookatta Deai

Filme antigo (2) - A Colonização Serra dos Dourados

Além das cenas descritas na Parte 1, este filme antigo contém cenas que têm uma profunda relação com o meu pai e a nossa família. Trata-se de cenas sobre o empreendimento que o meu pai dedicou sua vida e o fato desse velho filme se encontrar em meu poder, tem para mim um significado peculiar, que não posso deixar de pensar que não se trata de um mero acaso do destino. 

Os meus pais foram morar na cidade de Apucarana no Estado do Paraná no ano de 1945. Meu pai tinha a profiss ...

continue a ler

community ja pt

Kagirinaku Tookatta Deai

Filme Antigo (1) - Uma transição política histórica

Foi por acaso que o antigo filme veio parar em minhas mãos. Ele fazia parte do acervo do meu pai e estava sob guarda de um amigo dele, que nos repassou após o falecimento do meu pai. 

O momento retratado é o ano de 1952. Este filme contém imagens de um projeto desenvolvido pelo meu pai quando ele mudou-se para o Paraná e abandonou, em 1948, a profissão de protético e dentista prático, para dar início à colonização de terras junto com o Governo do Estado do Paraná. Este filme foi gerado no antigo ...

continue a ler

community ja pt

Kagirinaku Tookatta Deai

Do Diário do Meu Pai (2) - Lembranças da Família Yokoyama

Meu pai, falecido em 1995 com 81 anos, veio ao Brasil quando tinha 19 anos. Veio só, em 1934 no Arizona-maru. Folheando um velho diário deixado por ele, deparei, na página “Lembranças da viagem” escrita no dia 23/11/1940, sete anos após sua a chegada à Santos. Abaixo transcrevo um extrato do seu texto.

Certo dia, em Novembro de 1940, uma pessoa que havia trabalhado na Amazônia veio procurar-me para um tratamento dentário. Aproveitei a oportunidade para saber o destino daquelas pessoas que eu havia conhecido no Arizona-maru e que tinham ido para o ...

continue a ler

migration ja pt

Kagirinaku Tookatta Deai

Do diário do meu pai (1) - Aqueles Dias Eu...

Naquele tempo meu pai trabalhava como protético na cidade de Santos. Era solteiro e estava com 28 anos. Mais tarde, mesmo não sendo formado trabalhou irregularmente como dentista prático no quarto de uma pensão ou nos fundos da sua casa. Ele deixou registrado num velho diário, intercalando momentos de alegria e tristeza com passagens pitorescas de delícias da vida de solteiro em Santos, das emoções dos jogos no cassino e cita várias pessoas que o ajudaram a superar os momentos mais difíceis. Seis meses antes do início da guerra do ...

continue a ler

community ja pt

Kagirinaku Tookatta Deai

Minha primeira pizza

A primeira vez que comi uma pizza, eu gostei tanto, que fiquei imaginando se no mundo haveria alguma coisa mais gostosa do que uma pizza. É que, quando menino, morando no norte do Paraná não tivera até então, oportunidade de prová-la. No começo dos anos cinqüenta, - quando tinha sete anos, - vim com os meus pais, pela primeira vez a São Paulo. A Sra Otane de quem meus pais, desde quando eram solteiros, receberam muita ajuda, encomendara uma Pizza, numa padaria ali no Mercado Municipal. Era para que eu provasse a pizza, certamente uma novidade para ...

continue a ler