OHAYO Bom dia II

Quando criança, eu falava misturando o japonês e o português. Entrando na escola fundamental, fui aprendendo naturalmente a distinguir o que era uma língua e outra e, escrever em português se tornou uma atividade prazerosa. Hoje, 60 anos passados, escrever tanto em português como em japonês é a maior das minhas alegrias. Através desta série, espero poder contar histórias sobre os mais variados temas. Que isto possa chegar até vocês, como se fosse o meu cumprimento de uma refrescante manhã. 

OHAYO Bom dia (Série 1) >> 

identity pt

No Brasil sempre fui “a japonesa”, mas em Portugal virei “a brasileira”!

Outro dia li “Astro”, escrito por Hudson Okada e publicado neste site e, na mesma hora, lembrei um fato ocorrido comigo anos atrás.

Nasci na Capital de São Paulo, filha de pai japonês e mãe nikkei filha de imigrantes japoneses. Portanto, minhas feições são de uma japonesa, tanto que quando estou no Japão, enquanto não abro a boca, todos pensam que sou japonesa nata. Sim, porque o nikkei (pelo menos nós brasileiros) sempre acaba se traindo pela pronúncia um tanto peculiar ao falar japonês.

Durante minha infância e ...

continue a ler

identity ja pt

Tecidos made in Japan! Eu também quero!

Fiquei emocionada ao ler o artigo de Mia Nakaji Monnier publicado no Discover Nikkei dia 21 de setembro último. Mia conta que descobriu uma loja de tecidos japoneses e que lá frequentou aulas de costura na companhia de sua mãe, tendo confeccionado muitas coisas junto. Na mesma hora, lembrei com saudades que eu e minha mãe também vivenciamos momentos prazerosos assim.

Minha mãe nasceu e cresceu numa família de agricultores no Estado de São Paulo e, apesar da vida pobre, o seu dia a dia era feliz devido às tantas ideias que tinha e ...

continue a ler

community ja pt

Em busca do significado de JAPA

As palavras têm vida. E se muda o modo de pensar ou o modo de viver das pessoas, as palavras também mudam.

Cerca de sessenta anos atrás, quando eu era criança, o número de nikkeis morando na capital de São Paulo ainda era pequeno, assim, o “japonês” tinha visibilidade em muitos sentidos.

Naquela época, a grande maioria dos brasileiros tinha uma imagem característica dos japoneses e descendentes: “Japonês não entende português” e “Sua comida é diferente” e “Seus costumes são estranhos”.

Desde criança, eu tive um interesse muito ...

continue a ler

identity ja pt

Diferenças culturais – Verão

Tivemos neste ano o pior verão dos últimos 70 anos com temperaturas atingindo 40ºC. Pela cidade viam-se pessoas com o rosto vermelho, suando em bicas, ofegantes, andando com movimentos lentos. Mas eu, que nunca gostei de calor, passei esses dias terríveis até que com bastante disposição. Isto se deve ao fato de eu ter experimentado um dia o verão japonês, quando aprendi muitas coisas. Assim, nessa estação do ano é que as diferenças culturais entre o Brasil e o Japão se tornam mais evidentes.

Há 42 anos fui bolsista no Japão ...

continue a ler

community ja pt

“Omedetô gozaimasu”, será que virou português?

Na manhã do primeiro domingo de janeiro, eu estava indo ao culto na igreja, quando encontrei o Joaquim pelo caminho. Joaquim é um lindo cãozinho beagle e a primeira vez que nos vimos foi três anos atrás.

Cumprimentei com um “Feliz Ano-Novo” e o dono do Joaquim respondeu: “Omedetô”, inclinando levemente a cabeça, em sinal de respeito. Confesso que fiquei surpresa, pois os brasileiros não têm o costume de cumprimentar fazendo reverência e também porque a palavra japonesa “omedetô” não é tão conhecida como “arigatô” e “sayonará”.

Dois dias depois, pela manh ...

continue a ler