Kizuna 2020: Bondade e solidariedade nikkeis durante a pandemia da COVID-19

Em japonês, kizuna significa fortes laços emocionais. Em 2011, convidamos nossa comunidade nikkei global a contribuir para uma série especial sobre como as comunidades nikkeis reagiram e apoiaram o Japão após o terremoto e tsunami de Tohoku. Agora, gostaríamos de reunir histórias sobre como as famílias e comunidades nikkeis estão sendo impactadas, respondendo e se ajustando a essa crise mundial.

Se você deseja participar, consulte nossas diretrizes de envio. Receberemos envios em inglês, japonês, espanhol e/ou português e estamos buscando diversas histórias do mundo todo. Esperamos que essas histórias ajudem a nos conectar, criando uma cápsula do tempo de respostas e perspectivas de nossa comunidade Nima-kai global para o futuro.

* * * * *

Embora muitos eventos em todo o mundo tenham sido cancelados devido à pandemia da COVID-19, percebemos que muitos novos eventos apenas online estão sendo organizados. Como são online, qualquer pessoa pode participar de qualquer lugar do mundo. Se a sua organização Nikkei está planejando um evento virtual, poste-o na Seção de Eventos do Descubra Nikkei! Também compartilharemos os eventos via Twitter @discovernikkei. Felizmente, isso ajudará a nos conectar de novas maneiras, mesmo quando estamos todos isolados em nossas casas.

community pt

COVID-19 e seu impacto na vida dos nikkeis brasileiros

Como tem ocorrido em outros países, a Covid-19 atingiu o Brasil de forma arrasadora, mostrando aos que nela não acreditavam, a sua malignidade letal.

Em 09 de maio, já foram registrados mais de 10.000 óbitos, com previsão de alcançar números catastróficos nos próximos meses, apesar das medidas de contenção tomadas pelas autoridades sanitárias do país. Adotou-se a quarentena horizontal para tentar combater o mal. Com isso, fecharam-se as portas do comércio e da indústria; proibiu-se a movimentação das pessoas. Apenas, algumas atividades consideradas essenciais continuaram funcionando ...

continue a ler

culture en

Japanese Canadian Art in the Time of Covid-19 - Part 6: Let’s Dance!

Read Part 5 >>

So far, dancing is not on the list of prohibited activities under the current Ontario Emergency Lockdown.

In Part 6, we’re featuring three JC dancers who make their living as dancers: Vancouver Budoh dancer Jay Hirabayashi, son of Gordon Hirabayashi, and his partner Barb Bourget are the founders and teachers at Kokoro Dance. Denise Fujiwara operates the Fujiwara Dance Inventions in Toronto and Hiroe Hoshi (aka “Nema”) is a well known Victoria, BC belly dancer, performer and teacher.

In going through some of my pictures from my nine years in Japan, I came across one of ...

continue a ler

culture es

Pepe Cabana Kojachi: del papel a la pantalla

Su escenario eran los teatros, las bibliotecas infantiles y centros culturales, adonde llevaba su bicicleta con el Kamishibai, el teatro de papel itinerante con el que Pepe Cabana Kojachi se hizo conocido como Mukashi Mukashi. Ahora la tarima está en el segundo piso de su casa, donde ha montado un set para grabar sus presentaciones digitales que no solo llegan al Perú, sino a muchos países donde viene difundiéndose esta forma de arte japonés.

“Es curioso que en esta coyuntura han aparecido muchos videos sobre Kamishibai, hay bastante material que se publica cada día, pero no ...

continue a ler

community en

A Different Perspective: A Nikkeijin's Questions on Humanity's Responses to Economic Uncertainty

Is ignorance really bliss? What does it mean when people say, “I can’t wait for things to go back to normal”? What is defined as “normal”? Is “going back to normal” achievable after over 2.6 million deaths worldwide due to the Coronavirus—with over 530,000 Coronavirus-related deaths in the US alone? Also, what does it mean to be Economically stable at this point in time?

In this article, I want to reflect from an Economic Anthropological perspective. This means I intend to focus on the issues of humanity neither based on rational decision-making nor based on actual ...

continue a ler

community es

“No debemos quedarnos con esta sensación de horror porque el Perú es un gran país”

Hace un año, se impuso en el Perú una de las cuarentenas más rigurosas del mundo para ralentizar la expansión del nuevo coronavirus. Ha sido un año penoso y terrible para un país diezmado por la pandemia y abatido moralmente por un escándalo que involucró a un expresidente y dos exministras que abusaron de sus posiciones de poder para vacunarse de manera clandestina mientras miles de personas morían. 

A lo largo del año, uno de los especialistas más consultados por los medios de comunicación ha sido el psicólogo social ...

continue a ler