Escolha o seu idioma de preferência para tirar o máximo proveito das páginas do nosso Jornal:
English 日本語 Español Português

Fizemos muitas melhoras nas seções do nosso Jornal. Por favor, envie-nos a sua opinião ao escrever para editor@DiscoverNikkei.org!

Enciclopédia do migração nikkei

Estados Unidos da América - Visão histórica sobre migração

Cerca de 200.000 japoneses chegaram ao arquipélago de Havaí entre os anos de 1885 e 1924, e cerca de 180.000 imigraram para a parte continental dos Estados Unidos. A maioria eram provenientes das províncias meridionais do Japão, castigadas pela seca, fome e excesso de população.

Homens da Ilha de Kona nas plantações de cana de açúcar havaianas (Doada por Sukeji Yamagata. Cortesia do Rev. Shugen Komagata. Acervo do Japanese American National Museum [95.197.25])

No arquipélago de Havaí, os primeiros isseis trabalharam nas plantações de cana de açúcar e no continente, os recém chegados eram enviados para fábricas de enlatados de salmão no Alaska, minas de Utah, serrarias em Oregon ou a áreas agrícolas de Califórnia.

Racismo em evolução

O racismo sempre atormentou a vida dos nikkeis nos Estados Unidos, impedindo até mesmo a entrada de novos trabalhadores previstos no Acordo de Cavalheiros entre o Japão e os Estados Unidos de 1907-1908.

Nas décadas seguintes, o perfil de composição da comunidade nikkei mudou de homens solteiros para famílias, acompanhando a atuação dos isseis na agricultura, bem como fazer face a renovados ataques anti-japoneses.

A promulgação das leis que recusa o direito de naturalização aos japoneses, de 1922 e a que proibiu a entrada de novos imigrantes japoneses nos Estados Unidos, de 1924, se constituíram num grande revés, na medida em que elas só foram revogadas em 1952.

Segunda Grande Guerra: Internamento nos Campos de Concentração e Honras Militares

Com a eclosão da Guerra no Pacífico, toda a população de origem japonesa que viviam na Costa Oeste dos Estados Unidos foram compulsoriamente retirados de suas casas e internados em campos de concentração. A fim de provar a sua lealdade para com os Estados Unidos, muitos nisseis se alistaram voluntariamente nas fileiras do exército ou nos serviços de inteligência militar. A demonstração de bravura e a contribuição heróica ajudaram os nisseis a desfazer as barreiras raciais existentes e obter a rápida ascensão social após a guerra. No arquipélago de Havaí, os veteranos de guerra nisseis se transformaram numa força política majoritária, que obteve a elevação do Havaí para o status de Estado da federação em 1959.

Templo Budista Nishi Hongwanji no Bairro de Little Tokyo em Los Angeles (abriga atualmente o prédio histórico do Japanese American National Museum) se transformou no ponto de encontro dos nipo-americanos que eram enviados aos “assembly centers” em 1942 (Foto de Jack Iwata. Doação de Peggy Iwata. Acervo do Japanese American National Museum [93.102.102])

Reparação de danos

Na década de 80, a terceira geração de jovens, os sanseis, se juntaram aos nisseis em busca de obtenção da reparação de danos pela injustiça sofrida com a internação nos campos de concentração durante a guerra. A luta que se prolongou anos a fio, mas terminou com a aprovação da lei de 1988 que concedeu a reparação de danos e a desculpa formal do governo americano. A comunidade nipo-americana de hoje está muito mais diversificada do que anteriormente, com novos horizontes e auto-definições. Conta, outrossim, com contingentes nikkeis multi-raciais, bem como novos imigrantes, embora o vínculo que os une ainda continue forte.

No dia 10 de agosto de 1988, o presidente Ronald Reagan assinou a lei da reparação de danos, H.R. 442 (Doação de Norman Mineta, Acervo do Japanese American National Museum [96.370.16 A])

Fonte:

Akemi Kikumura-Yano, ed., Encyclopedia of Japanese Descendants in the Americas: An Illustrated History of the Nikkei (Walnut Creek, Calif.: AltaMira Press, 2002), 275.

 

* Texto elaborado em colaboração com o Centro para História Oral e Instituto de Pesquisas de Ciências Sociais da Universidade de Havaí, Campus de Manoa e o Centro de Estudos Asiático-Americanos da Universidade de Califórnia em Los Angeles.

 

© 2002 Japanese American National Museum

encyclopedia INRP migration United States

Sobre esta série

Você sabia que os Nikkei vivem em mais de 50 países? Leia resumos históricos sobre as migrações japonesas, os quais ilustram as mais importantes experiências dos Nikkei em determinados países.

Esta seção contém informações com origem em Encyclopedia of Japanese Descendants in the Americas: An Illustrated History of the Nikkei, Akemi Kikumura-Yano, ed. (Walnut Creek, CA: AltaMira, 2002). Além disso, incorporamos novos dados àqueles contidos no texto original. Estas informações também estão disponíveis em japonês sob o título 『アメリカ大陸日系人百科事典―写真と絵で見る日系人の歴史』 (明石書店, 2002).