Escolha o seu idioma de preferência para tirar o máximo proveito das páginas do nosso Jornal:
English 日本語 Español Português

Fizemos muitas melhoras nas seções do nosso Jornal. Por favor, envie-nos a sua opinião ao escrever para editor@DiscoverNikkei.org!

Enciclopédia do migração nikkei

Paraguai - Visão histórica sobre a migração

O início da imigração japonesa oficial para o Paraguai remonta a 1936, quando o primeiro grupo de imigrantes chegaram como colonos. A primeira colônia agrícola de japoneses com 134 famílias se instalou em La Columena. Muitos se mudaram para outras cidades e países em busca de melhores trabalhos e oportunidades, enquanto que outros ficaram e enfrentaram dificuldades que iam desde epidemias como malária, desastres naturais e as restrições inerentes a tempos de guerra em termos de atividades sociais e educacionais.

Kenzo Sakoda foi o primeiro dos imigrantes japoneses no Paraguai, posando com a sua família no Japão, em 1912 (Arquivo do Fernando Sakoda)

Fluxo de imigrantes no período pós-Segunda Grande Guerra

A próxima leva de imigrantes japoneses ocorreu nos primeiros anos da década de 1950, quando Paraguai abriu as suas portas para receber os imigrantes provenientes de países devastados pela guerra. Em 1953, a Empresa de Colonização Japão Paraguai assistiu ao assentamento de um certo número de japoneses nas colonias Fedrico Chaves, na parte meridional do país, enquanto que a Companhia de Promoção da Imigração Japonesa instalou colonias agrícolas no Departamento de Itapua (Santa Rosa, La Paz e Fuji) a partir de 1959. Tendo em vista o sucesso memorável no desenvolvimento da agricultura regional, os dois governos assinaram o Acordo de Imigração, que possibilitaria a entrada de 85.000 agricultores do Japão no período de 1959 a 1989. Contudo, somente 7.000 japoneses ingressaram no Paraguai durante o período de 30 anos, devido a recuperação da economia japonesa na década de 1960.

Colônias Pirapó e Yguazú

O terceiro grupo de imigrantes com base no Acordo se instalou nas Colônias de Pirapó e Yguazú, na parte sudeste do país, onde se dedicaram a produção de soja, trigo, fruticultura e criação de gado. As colônias receberam substancial assistência financeira do governo japonês que criou um vínculo duradouro dos isseis e também de muitos nisseis, criando uma tendência de identidade com Japão e mantiveram os valores, práticas culturais e o uso de língua japonesa.

A primeira cerimônia matrimonial celebrada na Colonia Chaves em agosto de 1956, entre o segundo grupo de imigrantes japoneses que vieram a Paraguai após a Segunda Grande Guerra. Entre 1953 e 1956, 110 famílias japonesas se instalaram na Colonia Chaves, que foi construída pelo govêrno em 1953, para se tornar uma colônia internacional (Cortesia do Centro Nikkei Paraguayo).

Fonte:

Akemi Kikumura-Yano, ed., Encyclopedia of Japanese Descendants in the Americas: An Illustrated History of the Nikkei (Walnut Creek, Calif.: AltaMira Press, 2002), 229.

 

* Texto elaborado em colaboração com o Centro Nikkei Paraguayo.

 

© 2002 Japanese American National Museum

encyclopedia INRP migration Paraguay

Sobre esta série

Você sabia que os Nikkei vivem em mais de 50 países? Leia resumos históricos sobre as migrações japonesas, os quais ilustram as mais importantes experiências dos Nikkei em determinados países.

Esta seção contém informações com origem em Encyclopedia of Japanese Descendants in the Americas: An Illustrated History of the Nikkei, Akemi Kikumura-Yano, ed. (Walnut Creek, CA: AltaMira, 2002). Além disso, incorporamos novos dados àqueles contidos no texto original. Estas informações também estão disponíveis em japonês sob o título 『アメリカ大陸日系人百科事典―写真と絵で見る日系人の歴史』 (明石書店, 2002).