A carreira do pai como fabricante de manju (Inglês)

O passado da Família (Inglês) Dirigindo um Ford 1930 aos 12 anos (Inglês) Classificado como 4C - estrangeiro inimigo (Inglês) Desvio Inahara (Inglês) Incentivado a ir para a faculdade (Inglês) A carreira do pai como fabricante de manju (Inglês) Identificado como descendente japonês (Inglês)

Transcrições disponíveis nas seguintes línguas:

(Inglês) Olhando para trás em sua carreira, eu tentei descobrir onde ele aprendeu no Japão. E meu primo no Japão tentou rastrear também onde ele trabalhou. Descobrimos na minha última viagem ao Japão que ele realmente trabalhou em uma loja de manju [confeitaria de doce de feijão vermelho] chamada Fugetsu na cidade de Gifu. E eu acho que ele também teve algum treinamento em Kyoto porque o manju e todos os produtos que ele fazia eram muito, muito sofisticados. Você não vê esse tipo de coisa em Tokyo... quero dizer, em Little Tokyo em Los Angeles. Ele tinha... ele fez de tudo - todos os tipos diferentes de manju. Ele fez formas - pêssegos, maçãs, e ele os coloria e fazia reproduções de crisântemos. Ele fazia fotos em yōkan [doce de feijão vermelho gelatinoso e denso]. Ele fazia todos os tipos de okashi [confeitaria], além do manju – kasutera [pão de ló japonês], ele fazia mochi [bolinho de arroz], é claro, ele fazia kakimochi [biscoito de arroz].

E eu me lembro da loja. Ficava na Broadway e Tacoma. O endereço - ainda me lembro - é 1510 Broadway. Bem, a última vez que fui para Tacoma, há um mês para uma reunião Tacoma, este lugar é agora o Centro de Convenções Tacoma, que é logo ali. Mas de qualquer forma, eu me lembro da loja. Ele tinha, eu acho, 3 ou 4 mostruários que ficavam sempre cheios de okashi e manju. No início, tínhamos... a loja ficava lá e nós morávamos em cima no hotel. Então, mais tarde, alugamos uma casa pelo que me lembro. Claro que tínhamos acesso a todos os manju, nós... a qualquer momento, era muito bom.

Mas você sabe, depois que [o pai] se aposentou aqui no Oregon, ele abriu uma loja aqui em Portland, porque queria algo para fazer. Ele fez alguns manju e yōkan. Ele fez isso por talvez 5, 6 anos. Então, infelizmente, o prédio foi demolido porque a rodovia teria que atravessar e ele precisou sair. Mas ele faria manju para nós em casa. E assim estávamos acostumados ao melhor [manju] e por isso a qualquer momento e em qualquer lugar tínhamos manju, ora, nós éramos de certa forma mimados.

Data: 6 de dezembro de 2005
Localização Geográfica: Oregon, Estados Unidos
Interviewer: Akemi Kikumura Yano
Contributed by: Watase Media Arts Center, Japanese American National Museum

fugetsu manjyu yokan

Este guia vai proporcionar a você as técnicas básicas necessárias para conduzir a sua própria entrevista de história oral

Kizuna 2020: Bondade e solidariedade nikkeis durante a pandemia da COVID-19

Leia as histórias e compartilhe as suas!

Mais do Que um Jogo: Esporte Nikkei

O prazo para o envio de artigos até 31 de outubro.

Leia as histórias Esporte Nikkeis >>

Receba novidades

Cadastre-se para novidades por e-mail

Journal feed
Events feed
Comments feed

Apoie o projeto

Descubra Nikkei

O site Descubra Nikkei é um lugar once você pode se conectar com outras pessoas e assim participar nas experiências dos nikkeis. Para continuar a manter e expandir este projeto, nós precisamos da sua ajuda!

Maneiras de ajudar >>

Projeto do Japanese American National Museum

Patrocinador principal: The Nippon Foundation