Histórias da colônia (Japonês)

A vida na colônia (Japonês) A vida difícil como estudante pobre em São Paulo (Japonês) Makegumi - O Movimento de Consciêntização para a derrota do Japão (Japonês) A razão de tornar-se religioso (Japonês) Histórias da colônia (Japonês)

Transcrições disponíveis nas seguintes línguas:

Há um caso de quando morei no interior e, que alguns, podem achar mentira. Quando saí de Guatapará, pulei de fazenda em fazenda, aí começou a guerra. No 1º ano em que vim ao Brasil, começou a Primeira Guerra Mundial, durou 5 anos e quando acabou, todas as plantações de café, queimaram-se com a geada.

Não tinha trabalho nas fazendas, fui para uma colônia perto de Ribeirão Preto, de um inglês, fazer pasto. Eram 24 Km da estação até lá. Levava dois dias para chegar! Montava no carro de boi e lá ia, não havia estrada, o boi ia guiando de lá até a nascente do Rio, onde pudesse atravessar, e passava para o outro lado, e ia entrando. Levava dois dias para andar 24 km! Nesse lugar, à noite, a onça ficava esturrando. De manhã, e no fim da tarde, belas araras em bando iam voando assim, e à noite aqueles macacos, os bugios, vinham até perto das casas e gritavam. Fui para um lugar assim.

Quando conto essa história, todos acham que é mentira. Agora, já virou coisa do passado, não é mesmo? Mas, realmente tive ótimas experiências aqui no Brasil, sou grato de coração por ter vindo para cá.

Data:
Localização Geográfica: Brasil
Contributed by: Caminho da memória - 遥かなるみちのり. São Paulo, Brazil: Comissão de Elaboração da História dos 80 Anos de Imigração Japonesa no Brasil, 1998. VHS.

Brazil coffee farming guatapara

Receba novidades

Cadastre-se para novidades por e-mail

Journal feed
Events feed
Comments feed

Apoie o projeto

Descubra Nikkei

O site Descubra Nikkei é um lugar once você pode se conectar com outras pessoas e assim participar nas experiências dos nikkeis. Para continuar a manter e expandir este projeto, nós precisamos da sua ajuda!

Maneiras de ajudar >>

Projeto do Japanese American National Museum

Patrocinador principal: The Nippon Foundation